A situação do Mister se complica

0
1168

Powered by WP Bannerize

Gabriela Cristina Batistela, namorado do empresário e ex-mister Cuiabá, Michel Bruno Silva Batista, de 29 anos, preso na noite do último domingo (25), acusado de atingir ela e um policial militar, durante confusão no estacionamento da boate Nuun Garden, na capital mato-grossense, disse em entrevista exclusiva ao Olhar Direto que os disparos efetuados no local foram acidentais, no momento em que seu companheiro estava em luta corporal contra o PM, no intuito de se defender. Além disto, ela negou que estivesse sendo agredida, em vídeo que aparenta ser arrastada na frente do estabelecimento.

“Dentro da boate não teve nada, tudo aconteceu no estacionamento. Nós ficamos conversando. Enquanto esperávamos o carro, o motorista veio e deixou a porta aberta. Quando íamos entrar, chegou o policial e uma mulher, dizendo que o carro era dele. Meu namorado disse que não, que era nosso. Porém, não sei se ele achou que estávamos tentando furtar e começou uma discussão, já que os dois estavam um pouco alterados”, disse Gabriela.

Ainda conforme o relato dela, foi então que o policial militar sacou a arma e efetuou disparos para cima. “No impulso, meu namorado foi tentar desarmar, nos proteger. Eu fiquei ali e entrei no meio para também tentar tirar a arma, para não acontecer nada demais com nenhum dos dois. Nisso, aconteceram os disparos. Na hora eu nem senti. Peguei a arma e joguei para o lado. Foi tudo acidental, ele não teve intenção alguma de tentar me matar ou o outro rapaz”.

“O carro era nosso e o homem nos acusou de estar roubando. O próprio manobrista disse que era o nosso veículo, tanto que nós demos o papel para ele buscar. Por infelicidade, os carros eram iguais.  Quero deixar bem claro que ele [Michel] não atirou em mim. Não foi o que aconteceu. Foi acidental. Eu, se não tivesse me enfiado no meio da briga, não tinha me atingido. Só que na hora a gente pensa em defender”, explicou.

O tiro que atingiu o braço direito de Gabriela transfixou. Ela foi atendida em uma unidade de saúde e recebeu alta posteriormente.

Gabriela ainda fez questão de explicar um vídeo de câmeras de segurança, em que aparenta estar sendo agredida pelo namorado. “Não foi o que aconteceu. Ele não me bateu de jeito nenhum. Teve uma hora que ele correu para a boate de novo, eu estava toda ensanguentada, porque na hora eu nem senti o disparo, só fui ver depois. Quando ele veio de encontro comigo, eu estava caindo, mole já. Ele tentou me puxar, me arrastar”.

“Dá para ver no vídeo, que inclusive parece ter algum tipo de corte nas imagens, que o bombeiro chega com a arma na mão. Ele não estava me batendo, só tentava me tirar da situação. Se tivesse me agredindo, esse rapaz tinha relatado isso também no boletim de ocorrências. Ele pega no meu braço tentando me levantar, inclusive evita pegar onde foi o tiro. Tanto é que não tenho nenhum roxo, lesão alguma”, completa Gabriela.

Por fim, Gabriela afirma que a situação está sendo muito difícil para a família e que até agora não consegui falar com o namorado, que teve a prisão em flagrante convertida para preventiva e segue detido. “Estão aparecendo coisas que não são verdades. Só queremos resolver tudo isto. Ele não tentou matar ninguém, o que aconteceu foi acidental”.

Powered by WP Bannerize

Deixe uma resposta